Quando o assunto é nutrição animal o mais comum é que a gente pense nas rações. Práticas, elas estão disponíveis em supermercados e pet shops e são encontradas por diversos preços.

Muitas de excelente qualidade, outras nem tanto. Na vida corrida de muitos tutores são as rações que acabam suprindo as necessidades dos nossos pets.

Mas há uma tendência mundial que aponta a Alimentação Natural como a melhor opção para cães e gatos. De acordo com Soelen Camargo, nutróloga de pequenos animais, os benefícios da AN para os pets são inúmeros.

“A gente sabe que as rações são mais práticas, são alimentos prontos, já balanceados. Mas a longo prazo estamos percebendo os problemas causados na saúde dos pets por conta dos conservantes, inclusive as alergias. Já a Alimentação Natural é preparada de forma personalizada. É uma alimentação pesada e balanceada para cada animal e que não passa por nenhum processamento”, explica.

Misturar comida com ração

É comum os tutores encontrarem dificuldade em dar ração pura para os pets, e por isso acabam utilizando artifícios para fazer o animalzinho comer. Entre eles está misturar alguma comida na ração. A ideia, no entanto, não é muito boa segundo a especialista.

“O problema maior de adicionar na ração proteína ou carboidrato é que esse alimento fica desbalanceado.  A ração é produto já balanceado e adição de qualquer outra substância pode gerar um problema a longo prazo pro animal. Por isso a melhor opção para o animal que não aceita a ração é a alimentação natural”, alerta.

Alimentação Natural

É importante destacar que a Alimentação Natural do seu pet não é a mesma que a sua. Existem muitos alimentos que não devem ser dados para os animais. Então se você estava acostumado a dar o resto da comida para o seu bichinho, comece a rever os seus hábitos.

“Antigamente a gente dava o resto da nossa comida para os pets, e isso é totalmente errado. A comida precisa ser feita de forma balanceada para as necessidades do cão e do gato”, afirma Soelen.

O ideal é que o tutor busque um especialista para saber quais as necessidades do seu animal. O profissional vai estabelecer a quantidade diária de comida que deve ser dada para o pet, e o tutor vai organizar as refeições de acordo com a rotina de cada um.

Antes de fazer a mudança da ração para alimentação natural o pet também vai precisar fazer alguns exames para saber se suas taxas estão normais. O veterinário vai estabelecer uma dieta personalizada, de acordo o resultado dos exames.

Perda de peso

É normal o animal perder peso quando é feita a mudança de alimentação. Segundo a nutróloga isso acontece porque os carboidratos usados nas rações são simples e na Alimentação Natural o carboidrato é composto.

É como se você tirasse o pão da sua vida, e colocasse batata doce no lugar dele. A porcentagem também é diferenciada.

“Quem mais sofre com isso são os gatos, porque pra você fazer a ração você precisa de uma quantidade de carboidratos, e como eles são carnívoros, eles são prejudicados. Por isso a gente tem muito gato com diabetes, obeso”.

AN para gatos

Os gatos são carnívoros estritos e por isso sua fonte principal é a proteína. O carboidrato não faz parte da fisiologia dos felinos.

Na Alimentação Natural, no entanto, é importante adicionar alguns vegetais para ajudar no funcionamento do intestino, mas a absorção de nutrientes é nula.

“Não existe dar uma alimentação vegetariana para gatos. Sem proteína alguma ele vai morrer de inanição. A alimentação precisa ser balanceada. Tem uma porção pequena de vegetais para aumentar a motilidade, tem que ter uma víscera, tem adição de óleos, tem que fazer uma suplementação também”, explica.

AN para cães

Os cães são carnívoros oportunistas, mas ao longo do tempo conseguiram desenvolver o intestino pra absorção de vegetais.

Assim como os gatos, eles também vão precisar de uma alimentação balanceada com proteínas, carboidratos e vegetais. Os cachorros também precisam de suplementação.

“Não adianta fazer só as proporções, porque para a gente chegar no que é adequado para cada animal nós teríamos que aumentar muito a quantidade de ingredientes, tornando aquela refeição desbalanceada. Por isso a importância da suplementação”, detalha Soelen.

AN cozida x AN crua com ossos

Além da Alimentação Natural cozida também existe uma tendência mundial que é a Alimentação Natural crua com ossos.

Em um primeiro momento muitos tutores podem torcer o nariz, mas essa também é uma possibilidade bastante nutritiva para os pets e é a forma mais parecida de como seus ancestrais se alimentavam.

Nessa dieta são usadas fontes de carboidrato, vegetais bem triturados, proteína e ossos. A alimentação também precisa ser balanceada e essa opção deve ser discutida com o médico veterinário.

“As raças pequenas podem ter dificuldade com alguns ossos. Animais com o focinho achatado se engasgam facilmente e a AN crua com osso pode ser arriscado para eles. Apenas animais saudáveis devem ter esse tipo de alimentação”, explica Soelen.

Alimentos proibidos

Os animais podem comer praticamente todos os alimentos. Quanto mais variado o cardápio, melhor, já que o pet consegue absorver mais nutrientes.

Além disso, muitos enjoam rápido e são bastante seletivos. Porém, o tutor deve tomar alguns cuidados porque existem alimentos tóxicos para os pets, como por exemplo a cebola.

O alho em grandes quantidades também pode fazer mal ao pet. Feijão também é um alimento que não deve ser dado para os bichos.

“Poder até pode, mas não é o mais indicado. Alguns animais têm reação. Melhor escolher outro carboidrato”, orienta Soelen. Os grãos usados na dieta precisam ficar de molho por pelo menos 12h para tirar alguns fatores antinutricionais dele. “Se o tutor não tiver esses cuidados por falta de tempo ou paciência é melhor dar ração para o animal”, diz Soelen.

Ossos

De forma geral o osso é muito legal para os pets, o problema é que quando ele passa por qualquer processo de aquecimento ele muda a estrutura interna e forma farpas.

“Ninguém indica osso porque os animais costumam engasgar com eles. Existem raças como o ShihTzu, por exemplo, que a dentição é diferente e ele não consegue triturar como deveria ser e engolem inteiro”.

A médica veterinária diz que costuma indicar para os pacientes o osso recreativo, que substitui o osso branco de couro. “A gente pode dar um osso maior que a cabeça do animal.

Deixa uns cinco dias no freezer pra matar os microrganismos e oferece ao cão com supervisão. Eles adoram”, recomenda.

Petiscos

Na dieta com Alimentação Natural os petiscos industrializados também devem ser substituídos por conta da quantidade de conservantes. Uma boa opção para agradar o seu pet é dar ovo a ele.

“Um animal saudável, grande, pode comer ovo cozido de galinha três vezes por semana. Um animal pequeno pode comer ovo de codorna. Eles gostam bastante”, indica. O tutor também pode oferecer ao pet petiscos de fígado.

“Você cozinha o fígado, corta em tirinhas, coloca no papel manteiga e vai para o forno. Fica parecendo aqueles bifinhos que são encontrados nos pet shops”. Outra opção para refrescar no calor são as gelatinas incolor sem sabor. “Você pode colocar uns pedacinhos de fruta na gelatina e oferecer. Eles adoram também gelinho de óleo de coco”, finaliza.