Não são apenas os homens que devem se preocupar com problemas na próstata. Os tutores de pets também precisam ficar atentos!

De acordo com a médica veterinária especialista em oncologia animal, Catarina Pinto, nos cães, a doença mais comum é a hiperplasia prostática benigna, que nada mais é que o aumento benigno da próstata.

Diferente dos humanos, o câncer de próstata em cães tem baixa incidência, porém alta letalidade. “Infelizmente é uma doença quase silenciosa que leva ao óbito pelo avanço quando descoberta. Por isso se faz tão necessário o exame de check up anual dos cães acima de 7 anos”, afirma Catarina.

O câncer mais comum do sistema reprodutor de machos não castrados é o câncer de testículo, seguido de tumor anal responsivo aos hormônios masculinos.

Sintomas

Os sintomas de uma doença na próstata envolvem alteração no ato de urinar (aumento da frequência, gotejamento, impossibilidade de urinar), coloração de urina (vermelha, amarela densa ou esverdeada caracterizando pus), dificuldade em defecar e dor abdominal.

Já os tumores testiculares podem ser mais visíveis e palpáveis em testículos em bolsa escrotal, consistência mais rígida, assimetria, aumento de volume.

“É importante salientar que animais que apresentam testículo dentro do abdômen têm maiores chances de desenvolver tumor em testículo interno, sendo aconselhada a castração precoce”, alerta a médica veterinária.

Os tumores anais podem surgir como uma pequena lesão na região do ânus e podem estar associados a um tumor testicular ou não.

Tratamento

O tratamento muda de acordo com o caso, localização da lesão, presença de metástases (tumor espalhado em outros locais) e condição do paciente.

Ele pode variar entre cirurgia, quimioterapia e até radioterapia ou uma combinação de todos eles. O importante é identificar a doença e buscar a orientação de um especialista.

“O câncer de próstata em cães é bem agressivo e, devido a sua difícil localização, é detectado tardiamente, comprometendo assim o sucesso do tratamento. Porém, os demais tumores em testículo e ânus têm grandes chances de cura se descobertos no início”, explica Catarina.

Prevenção

A melhor prevenção é a visita anual ao veterinário para exame clínico e exames complementares como ultrassom, citologia (biópsia por punção) e exames sanguíneos.

Caso o tutor observe algum sintoma, mesmo que ainda não esteja na hora do check up, leve o seu pet ao veterinário. Catarina também chama atenção para a castração.

“A castração pode prevenir a hiperplasia prostática benigna, assim como futuros tumores testiculares e anais em idade mais avançada”, finaliza.

LEIA TAMBÉM

70% dos casos de câncer em cadelas são de mama

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *