Após publicar portaria determinando que animais não fossem alimentados na UFBA, instituição volta atrás e diz que deseja ordenar espaços para os bichos

Uma polêmica envolvendo cães e gatos que vivem nos Campi da UFBA, em Salvador, virou motivo de debates nas redes sociais e também entre os alunos e trabalhadores da Universidade.

Em uma portaria publicada pelo reitor João Carlos Salles, a instituição afirma que está proibido alimentar os animais nos campi.

“…estudantes, técnicos administrativos, docentes e trabalhadores terceirizados que se abstenham de alimentar animais nas portarias dos campi e das unidades da UFBA, bem como nas cantinas e restaurantes que funcionam nas dependências da Instituição”.

A determinação não agradou protetores de animais, que se manifestaram através das redes sociais.

“O senhor Reitor da UFBA, João Carlos Salles Pires da Silva, proibindo que os animais comunitários dos Campus sejam alimentados está ferindo o preceito fundamental da Constituição Federal em que é obrigação do poder público cuidar da fauna brasileira, o que está incluso a Fauna Urbana. Entidades de Proteção aos Animais já estão tomando as providências para que esse absurdo não ocorra”, publicou a protetora Patruska Barreiro.

UFBA volta atrás

Após as manifestações, a UFBA divulgou uma nota afirmando que não proibiu que os animais sejam alimentados.

“A Administração Central considera de extrema importância a elaboração de uma política em relação aos animais que habitam os campi da UFBA, garantindo sua saúde e bem-estar, sem descuidar, porém, da fundamental segurança de estudantes, técnicos e docentes, bem como das pessoas que nos visitam (…) Esclarecemos, então, que a Portaria 001/2018 recentemente publicada, exortando a comunidade a se abster de alimentar animais em certos locais, não visa proibir a presença de animais, nem a proibir sua alimentação na Ufba, mas sim ordenar os espaços mais apropriados e organizar melhor esse importante cuidado”.

Animais abandonados

De acordo com o censo realizado pela Superintendência de Meio Ambiente e Infraestrutura da Ufba em outubro de 2017, 21 cães e cerca de 96 gatos vivem nos campi da Universidade em Salvador.

 Abandonar animal é crime e pode dar de três meses a um ano e quatro meses de prisão, além de multa.

A pena é prevista no Artigo 32 da Lei Federal nº 9.605/98.

Imagem retirada do site http://www.kendalljenner.fun/map/faculdade-de-farmacia-ufba/243748477