Vigia informou que o gato comeu veneno no Parque. Secretaria Cidade Sustentável nega que faça uso de produtos tóxicos

Como de costume, a jornalista Fernanda Varela foi ao Parque da Cidade na manhã deste domingo, 21, para passear com seus dois cachorros da raça Beagle.

Só que dessa vez o passeio precisou ser mais curto porque ela e outros tutores de pets que estavam no Parque viram um gato morto próximo a Praça de Leitura.

Ao buscar informações com o vigia da região ele informou que o gato tinha comido veneno no Parque.

“Na mesma hora eu fui embora com os meus meninos. Ainda pensei em tirar foto do gato, mas Giggs ficou estranhando, achei melhor não me aproximar. Mas vi o bicho lá, estatelado no chão, sem nenhum machucado”, conta.

Segundo Fernanda, o vigia afirmou que estavam colocando veneno em alguns lugares do Parque e o gato acabou comendo e morrendo. Ele ainda alertou para que os pets que estavam na hora tivessem cuidado para não comer o veneno.

O que diz o Parque

De acordo com André Junior, da Secretaria Cidade Sustentável, que administra o Parque da Cidade, uma equipe foi até o local onde o gato foi encontrado morto e nenhum indício de veneno foi localizado na região.

O gestor informou ainda que o Parque não faz uso de nenhum tipo de veneno. “Nós estamos falando de uma área de preservação ambiental, onde há a presença de diversos animais, além das visitas diárias de pets e seus tutores”, afirmou.

Questionado sobre a possibilidade de um transeunte ter colocado o veneno no parque, André Junior disse não acreditar.

“Nós contamos com o apoio da Guarda Municipal e da Guarda Ambiental para fazer a segurança do Parque. Claro que é impossível dar conta de toda área, mas não acreditamos que alguém tenha feito isso. Nós achamos que alguém tenha abandonado o corpo do animal lá pra chamar atenção, já que hoje estamos realizando duas feiras de adoção aqui”, acrescentou.

LEIA TAMBÉM

Ufba diz que não proibiu que animais fossem alimentados nos Campi